Tão importante quanto um currículo, a etapa de vídeo desclassifica diversos candidatos por não entenderem um formato adequado de apresentação e os pontos principais que os recrutadores avaliam. A etapa de vídeo (pitch) não deve ser um pesadelo se você se preparar para ela. Nesse artigo vamos explicar como montar um pitch sensacional e também como ele será avaliado pelas empresas e RH.

pitch

As etapas de pitch (vídeo de apresentação) estão aparecendo cada vez mais nos processos seletivos, e o que ninguém te conta é que cerca de 70% da decisão de aprovar ou não um candidato está na forma como ele fala e não no que ele fala. Ficou surpreso? Pois é…

É claro que se você falar “super bem” mas não organizar suas ideias, falar mais da sua vida pessoal do que profissional, ou fazer piadinhas mirabolantes você será cortado nos 30%, que é o conteúdo + organização (ou pipeline, que chamamos).

Vamos dividir então em 2 partes:

1. Postura : Forma de falar

2. Conteúdo + Pipeline (organização)

1. Postura : Forma de falar

Como já citamos cerca 70% do peso da avaliação de um pitch está na forma de falar, e os 6 principais elementos que afetam isso são:

  • Sorriso: Ferramenta de conexão, emplacar um sorriso durante seu vídeo gera mudanças neurológicas na pessoa que está assistindo. O impacto é enorme, sorria.

“Smile and the World smile with you. Remember that old cliché? It’s not too far from the truth. As we’ve shown, mood contagion is a real neurological phenomenon, but not all emotions spread with the same ease. A 1999 study conducted by Sigal Barsade at the Yale School of Management showed that, among working groups, cheerfulness and warmth spread easily, while irritability caught on less so, and depression least of all. It should come as no surprise that laughter is the most contagious of all emotions. Hearing laughter, we find it almost impossible not to laugh or smile, too. That’s because some of our brain’s open-loop circuits are designed to detect smiles and laughter, making us respond in kind. Scientists theorize that this dynamic was hardwired into our brains ages ago because smiles and laughter had a way of cementing alliances, thus helping the species survive. The main implication here for leaders undertaking the primal task of managing their moods and the moods of others is this: Humor hastens the spread of an upbeat climate. But like the leader’s mood in general, humor must resonate with the organization’s culture and its reality. Smiles and laughter, we would posit, are only contagious when they’re genuine “ (Trecho do artigo “Primal Leadership: The Hidden Driver of Great Performance” de Daniel Goleman, Richard Boyatzis, e Annie McKee, 2013)

  • Gestos: Gesticule, e não pareça um robô. A comunicação não verbal pode dizer muito sobre você e sua confiança, além de contribuir para que o interlocutor entenda a mensagem passada. Diversos tópicos importantes foram comprovados por Dr. Irving H. Smith e Mr. Kendall Larry, em um estudo sobre gesticulação e comunicação efetiva (Gesticulation and Effective Communication — International Journal of Linguistics and Communication, 2015).
gesticulando
  • Movimentação: Em uma apresentação pessoal no formato de vídeo, a movimentação não é um fator tão relevante, mas quando levamos este mesmo modelo para apresentações em etapas presenciais, ai este tema se torna fundamental. No mesmo artigo citado anteriormente é possível extrair a relevância da movimentação, como transparecer ansiedade e confiança.
  • Oscilação na voz (entonação): Ninguém consegue assistir uma aula ou uma apresentação quando não há oscilação de voz. Dê enfase nas palavras chave, mostre energia na fala em determinados momentos para manter a atenção de quem assiste.
  • Energia: Demonstre energia, ninguém quer assistir um vídeo de uma pessoa que aparenta estar cansada ou de mau humor. A energia é contagiante e diz muito sobre você e seu brilho no olho por aquela empresa, afinal, se você quer muito ser aprovado você deveria estar animado durante o processo seletivo.

Como não fazer:

como nao agir

Como fazer:

como agir
  • Olhar: Em apresentações em formato de vídeo, o recomendado é olhar para câmera, mas em apresentações de etapas presenciais evite olhar para baixo ou fugir dos olhares dos recrutadores, seja firme, amigável e com olhar confiante.

As consequências de criar um vídeo sem prestar atenção nestes elementos são obvias, há grande chance de você não ser aprovado. Ou seja, fique atento aos detalhes citados, mais do que o próprio conteúdo do vídeo. Não é necessário realizar edições, e quando não especificado fique a vontade para optar por gravar em formato vertical (selfie) ou horizontal. Utilize roupas de cores neutras, e grave em um ambiente claro.

Após entender a importância desses elementos, vamos para o conteúdo e pipeline do seu vídeo.

reuniao
2. Conteúdo + Pipeline (organização)

O conteúdo e organização da apresentação podem sim deixar um candidato de fora dos processos seletivos, os principais fatores analisados por nossa equipe da Dinâmica Treinamentos são: formatos muito lúdicos, querer empregar excesso de criatividade, piadas, desvio do assunto (tema principal), abordar somente fatores pessoais, e desorganização das ideias.

Desta forma, o que recomendamos para todos os candidatos é que tenha um pitch atrativo e organizado, capaz de prender a atenção dos recrutadores e também ser claro ao descrever a trajetória até do candidato.

Em nosso treinamento preparatório para processos seletivos, o Hardwork Power, mostramos o seguinte esqueleto:

Este esqueleto é o que chamamos de pipeline, a organização do vídeo de apresentação (pitch). O resumo atrativo tem a função de atrair a atenção dos recrutadores, pois na grande maioria das vezes os vídeos não são assistidos até o final. Condensando as principais experiências e tópicos nestes 30 segundos, o qual não possui obrigação de ser em ordem cronológica, a segunda etapa do pitch passa ter a função de “complemento”, a parte onde estará todo o detalhamento das experiências já citadas.

OK, como tem que ser o formato você já entendeu, mas o que devo colocar nestas 2 partes? Vamos explicar ….

  • Resumo Atrativo: Selecione no máximo 6 experiências, se você tiver menos utilize todas que tiver. Em seguida modele da seguinte forma:

“ Olá, meu nome é João, tenho 23 anos, sou engenheiro de produção pela USP, ….” + experiência 1 + (aposto de detalhe 1) + experiência 2 + (aposto de detalhe 2)+ experiência 3…

Utilize ligações do tipo “logo depois”, “paralelamente”, “após isso”, “atualmente”, para unir as experiências e apostos para detalhar ou contextualizar algo que você citou.

Veja o exemplo:

“Olá, meu nome é João Pedro, tenho 24 anos, sou engenheiro de produção pela federal de Itajubá e Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. No meu período lá, tive a oportunidade de fazer um estágio na maior mineradora do país, voltando para o Brasil realizei outro estágio na Halliburton, na área de manutenção. Atualmente trabalho em uma empresa alimentícia, na área de qualidade e estou finalizando um projeto de dedução de perdas para validar minha certificação Green Belt Lean Six Sigma”

Base: Olá, meu nome é João Pedro, tenho 24 anos, sou engenheiro de produção pela federal de Itajubá…

Experiências: 1) Intercâmbio na Universidade de Michigan / 2) estágio na maior mineradora do país / 3) estágio na Halliburton, na área de manutenção / 4) analista na empresa alimentícia, na área de qualidade / 5) projeto de dedução de perdas / 6) certificação Green Belt.

  • Linha do Tempo com Storytelling:

Essa parte é importante detalhar todas as experiências, inclusive as já citadas. Conte sobre cada uma delas em ordem cronológica, e dê enfase na experiência mais relevante. É extremamente importante citar que não há nenhuma relevância citar soft skills, como por exemplo: “eu trabalho muito bem em equipe”, “tenho perfil de liderança”, “sou uma pessoa muito resiliente”. Colocar frases como estas em sua apresentação não fortalecem, como a grande maioria das pessoas acham. O grande motivo é que qualquer pessoa pode falar isso, mas apenas através de fatos e experiências que é possível “julgar” que o candidato trabalhou bem em equipe, foi líder ou uma pessoa resiliente.

Outro ponto relevante é o Storytelling. Para quem não conhece o termo storytelling é a arte de contar boas histórias, uma técnica muito comum para profissionais de marketing e propaganda. Saber contar uma boa história de forma a atrair quem assiste é fundamental.

Por fim, se você entendeu os fatores mais importantes do COMO você fala, e a forma mais adequada de estruturar O QUE você fala. O que podemos complementar é:

  • Não preste processos seletivos por prestar
  • Escolha sua área e foque em se desenvolver nela. Se você está perdido, faça o quiz de carreira.
  • Participe o máximo que puder de projetos e extensões durante a graduação.
  • Faça 2 anos de estágio, se puder em empresas diferentes, na mesma área.

E se você ainda ficou com dúvida, acesse esse material especial que montamos para vocês:

Os comentários estão desativados.