Fases do Lean Six Sigma

Especialmente em tempos de crise, só tem duas formas de aumentar o lucro de uma empresa: aumentando suas vendas ou reduzindo os seus custos. Se você não é da área comercial, então é fundamental que você tenha um pensamento voltado para redução de custos, se preocupe em conhecer ferramentas e saiba as aplicações do Lean Six Sigma.

O Lean Six Sigma é a junção de duas metodologias que já fazem bastante sucesso: o Lean, que foi criado na Toyota e tem como objetivo a redução de desperdícios e de etapas do processo que não agreguem valor ao cliente e o Six Sigma, que surgiu na Motorola, mas foi aprimorado e disseminado mundo afora pela General Eletrics, cujo foco é a redução de variabilidade do processo / defeitos e controle estatístico.

O profissional especialista em Lean Six Sigma segue a seguinte hierarquia:

  • Lean Especialista: Responsável pelos Eventos Kaizen, por elaboração do plano de ação da melhoria contínua e pelo Report Out;
  • Master Lean Especialista: Treina Lean Especialistas, promove eventos Kaizen, apoia os Lean Especialistas nos projetos Lean e desenvolve projetos;
  • Membros de Equipe: Participam de reuniões para apoiar os projetos e contribuir com os conhecimentos da área;
  • Dono do Processo:   Responsável por manter o processo final estável em sua área e pela sustentabilidade dos ganhos do projeto;
  • Green Belt: Possui tempo parcialmente dedicado para elaborar projetos da sua área ou réplicas. Apoia os Black Belts.
  • Black Belt: Possui tempo integral para desenvolver projetos e expande a cultura na instituição;
  • Master Black Belt: Treina os Black Belts e os Green Belt na metodologia DMAIC. É coaching na elaboração de projetos e desenvolve projetos e grande valia;
  • Financial: Responsável pela validação de métricas e ganhos dos projetos;
  • Champion: Apoia e divulga a implementação do Lean Six Sigma. Disponibiliza recursos para projetos. Elimina barreiras e apoia o Black Belt.

Independentemente do nível hierárquico que você se encaixa, a metodologia te dá embasamento teórico e prático para realizar projetos. Para facilitar a análise, conseguimos dividir os problemas e as melhorias que podem acontecer dentro de uma empresa em quatro grandes áreas:

  •  Processo: Temos um processo e precisamos melhorar este processo mapeando-o e vendo o que agrega valor ao cliente, onde estão as lacunas e falhas, ver como está funcionando, e se existem problemas de comunicação. Basicamente, os projetos voltados para processos são aqueles voltados para melhoria de fabricação, de prestação do serviço. Nele, detectamos todos os tipos de problemas que existem, eliminamos etapas que não agregam valor, e reduz horas de trabalho. Este tipo de processo já tem impacto positivo no cliente, como por exemplo diminuir prazo de entrega para o cliente.
  • Produto: Projeto voltado para produtos geralmente são para melhorar o desempenho, melhorar funcionalidade, e até adicionar uma funcionalidade nova ao produto ou prestação de serviço. Como mexe diretamente com o produto, é preciso tomar cuidado com os processos já que pode acabar complicando-os demais, e ter um resultado insatisfatório. Se estou melhorando meu produto devo estar ciente que isso impacta diretamente no cliente, por isso uma pesquisa de satisfação pode ajudar a entender se o processo resolveu o problema e se foi satisfatório.
  • Problema: Todas as empresas possuem problemas e querem resolvê-los, e esse tipo de projeto foca a melhoria do problema interno, operacional, que não está funcionando muito bem. Isso gera um benefício para economia de tempo e dinheiro. O maior cuidado que se deve tomar em relação a este processo é não ser imediatista, ou seja, não resolver o problema imediatamente, e procurar solucionar o problema buscando sua causa raiz.
  • Custo: Projetos voltados para custos, são os projetos onde conseguimos reduzir os custos que a empresa está tendo a mais em seu orçamento. Estes custos podem ser operacionais, despesas administrativas, diversos tipos de custos, mas é reduzir os custos em si.

Bom, agora você já sabe as aplicações do Lean Six Sigma.

Cada profissional toca um projeto de cada vez, ou apenas o que realmente é essencial para a empresa naquele momento. É importante fazer um levantamento geral, analisar o financeiro da empresa e a partir daí decidir qual tem mais impacto, quais os riscos envolvidos e qual projeto executar primeiro.

Todos os projetos no fim geram uma melhoria completa, como economia de tempo, de dinheiro ou de produtividade. Esse é o grande motivo desses profissionais serem tão bem vistos no mercado de trabalho, mesmo em períodos de recessão.

Gostou do tema? Gostaria de ver como o Lean Six Sigma pode ser aplicado na produção industrial? Então continue a leitura entenda mais sobre isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *